sábado, 31 de dezembro de 2011

2012-Feliz Ano Novo!!!!











“Feliz Ano Novo” em vários idiomas










Alemão – “Gutes Neues Jahr”

Catalão – “Bon Any Nou”

Chinês Mandarim – “Xin nian yu kuai”

Espanhol – “Feliz Ano Nuevo”

Esperanto – “Bonan Novjaron”

Finlandés – “onnellista Uutta Vuotta”

Francês – “Bonne Année”

Galês – “Blwyddyn Newydd Dda”

Grego – “Kainourios Chronos”

Hebreu – “Shanah Tovah”

Holandês – “Gelukkig Nieuwjaar”

Húngaro – “Boldog Ujevet”

Indonesiano – “Selamat Tahun Baru”

Islandês – “Farsflt Komandi Ar”

Italiano – “Buon Capo d’Anno”

Japonês – “Akemashite Omedetou Gozaimasu”

Latim – “Annum Faustum”

Norueguês – “Godt Nytt Ar”

Polonês – “Szczesliwego Nowego roku”















Não importa o idioma, o importante é que eu amo você, seja feliz no ano que se avizinha.

Desejo a VOCÊ…





















2012 luas platinadas

2012 sóis de alegria

2012 forças encontradas

2012 volts de energia

2012 dinheiros recebidos

2012 beijos na boca

2012 surpresas boas

2012 sonhos concedidos

2012 tempos de paz

2012 situações de euforia

2012 abraços apertados

2012 carinhos redobrados

2012 razões para harmonia

2012 histórias pra contar

2012 flores para regar

2012 futuros por chegar

2012 oportunidades para brilhar

2012 sucessos para comemorar

2012 opções para viajar

2012 festas para badalar

2012 amigos na realidade























…enfim, desejo que você tenha

2012 ótimos motivos para ser feliz de verdade!

Um grande abraço…






 









sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

FELIZ NATAL!!!







SOZINHO NO NATAL





(Ary Franco)





Escuto na casa ao lado

Manifestações festivas.

Sinto-me só e isolado.

Estou sem alternativas...





Procuro dormir, já sonolento.

Logo ao deitar, chamam-me à porta.

Levanto-me devagar, meio lento.

Quem será? Pouco importa!





Pergunto ao inesperado visitante

Por que tocara a campainha.

Respondeu-me, no mesmo instante,

Vim apenas fazer-te companhia.





Curioso, achei interessante.

Indaguei sobre seu nome.

Disse-me ser o aniversariante.

Perguntei se estava com fome.





Não, respondeu-me com bondade.

Meu nome é Jesus Cristo,

Alimento-me de tua felicidade...

Fiquei pasmo com o imprevisto.





Na casa ao lado, todos comemoram

E festejavam Meu aniversário.

Todos bebem mas Me ignoram,

Ficarei contigo no imaginário.





Acordo de súbito assustado,

Improviso rápido uma ceia.

Pode voltar, Meu Convidado,

Nesta linda noite de lua cheia!














segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

à você...





Sumi porque só faço besteira em sua presença, fico mudo

quando deveria verbalizar, digo um absurdo atrás do outro quando

melhor seria silenciar, faço brincadeiras de mau gosto e sofro

antes, durante e depois de te encontrar.

Sumi porque não há futuro e isso não é o mais difícil de

lidar, pior é não ter presente e o passado ser mais fluido que o ar.

Sumi porque não há o que se possa resgatar, meu sumiço é

covarde mas atento, meio fajuto meio autêntico, sumi porque

sumir é um jogo de paciência, ausentar-se é risco e sapiência,

pareço desinteressado, mas sumi para estar para sempre do seu

lado, a saudade fará mais por nós dois que nosso amor e sua

desajeitada e irrefletida permanência.



Martha Medeiros



quarta-feira, 19 de outubro de 2011

HIBERNAÇÃO DA PRIMAVERA


Não sumo porque quero.
Sumo por que preciso me refugiar dentro de mim mesma e encontrar respostas.
 Busco o isolamento, a solidão, o silêncio...a escuridão total.
Neles posso sonhar e brincar de ser feliz, sem ser censurada ou tachada de louca.
Vôo livre como bolhas de sabão ao sabor da brisa.
Estou hibernando, mas volto assim q me realizar dentro do meu ego desnorteado.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

LUA QUE ME FAZ SONHAR






Os raios de luar, deslizam cor de prata pelo céu de estrelas, iluminam meu rosto me faz sonhar.

Hoje quero que meu pensamentos derrubem barreiras, quebrem distância e se encontre aos seus onde posso me entregar aos meus mais insanos devaneios.

Hoje não quero que você seja meu tudo...quero ser tudo em você.

Sinto o perfume da rosa e não posso deixar de lembrar da primeira vez que te amei, tímida e assustada, em meio as pétalas de rosas que cobriam e perfumavam nosso ninho.

Tal como os raios de luar suas mãos deslizaram carinhosamente pelo meu corpo trêmulo e me fizeram viajar silenciosamente por um caminho nunca dantes percorrido.

Hoje só quero poder te dizer que sem você não dá para viver, e nesta nova dimensão onde você se encontra um dia vou te procurar para juntos novamente vivermos sob o luar o nosso amor de ontem que é um amor de sempre.

Seu eu ainda vive em mim.




 








sexta-feira, 23 de setembro de 2011


DIVAGAÇÕES




Olhe para mim!

Veja como gosto do teu jeito,

pegue e me leve ao sublime

limite que meu querer acende, no

calor do teu amor que eu desejo, ardente.



Quero beijar o teu rosto,

me perder no teu corpo,

percorrer os teus caminhos

nas voltas do teu destino.



Amo teu olhar distante!

hoje como todo dia

toda vida quis e não sabia

teu amor, teu calor, todos os teus dias.



Vou divagando e sonhando

na imensidão da minha alma nua

como brilha no espaço a beleza da lua

eu me perco , sem destino, sem rumo

sem poder ser tua.



MÁRCIA ROCHA

20/05/2009






 

domingo, 18 de setembro de 2011

...gostaria



de estar com você agora, segurando sua mão

e olhando esse seu sorriso efusivo.

No futuro, sei que vou reviver



o tempo que passamos juntos mil vezes.

Vou ouvir seu riso, ver seu rosto

e sentir seus braços em torno de mim.

Vou sentir falta de tudo isso,

mais do que você pode imaginar.

Quero me lembrar de você

como uma luz branca e pura

cuja comtemplação é de tirar o folêgo.


Onde quer que você esteja e não importa

o que esteja acontecendo em sua vida –

quero que você a encontre no céu noturno.

Quero que você pense em mim

e no céu que partilhamos, porque, seja onde for,

seja o q for que estiver acontecendo na minha vida,

é exatamente isso que eu vou fazer.

Eu te amo, John Tyree,

eu vou agarrar-me à promessa

que uma vez você fez a mim.

Se você voltar, vou me casar com você.

Se você quebrar a sua promessa,

vai partir o meu coração!”





terça-feira, 13 de setembro de 2011

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

GUILHERME DE ALMEIDA



NÓS  I


Fico - deixas-me velho. Moça e bela,


partes. Estes gerânios encarnados,

que na janela vivem debruçados,

vão morrer debruçados na janela.



E o piano, o teu canário tagarela,

a lâmpada, o divã, os cortinados:

- "Que é feito dela?" - indagarão - coitados!

E os amigos dirão: - "Que é feito dela?"



Parte! E se, olhando atrás, da extrema curva

da estrada, vires, esbatida e turva,

tremer a alvura dos cabelos meus;



irás pensando, pelo teu caminho,

que essa pobre cabeça de velhinho

é um lenço branco que te diz adeus!



Guilherme de Almeida 
 
 


NÒS  II


Nessa tua janela, solitário,


entre as grades douradas da gaiola,

teu amigo de exílio, teu canário

canta, e eu sei que esse canto te consola.



E, lá na rua, o povo tumultuário

ouvindo o canto que daqui se evola

crê que é o nosso romance extraordinário

que naquela canção se desenrola.



Mas, cedo ou tarde, encontrarás, um dia,

calado e frio, na gaiola fria,

o teu canário que cantava tanto.



E eu chorarei. Teu pobre confidente

ensinou-me a chorar tão docemente,

que todo mundo pensará que eu canto.



Guilherme de Almeida






NÓS  III
 
Mas não passou sem nuvem de tristeza


esse amor que era toda a tua vida,

em que eu tinha a existência resumida

e a viva chama de minha alma, acesa.



Nem lemos sem vislumbre de incerteza

a página do amor, lida e relida,

mas pouquíssimas vezes entendida,

sempre cheia de engano e de surpresa,



Não. Quantas vezes ocultei a minha

dor num sorriso! Quanta vez sentiste

parar, medroso, o coração de gelo!



- É que nossa alma às vezes adivinha

que perder um amor não é tão triste

como pensar que havemos de perdê-lo.



Guilherme de Almeida
 
 



NÓS   IV


Quando as folhas caírem nos caminhos,

ao sentimentalismo do sol poente,

nós dois iremos vagarosamente,

de braços dados, como dois velhinhos,



e que dirá de nós toda essa gente,

quando passarmos mudos e juntinhos?

- "Como se amaram esses coitadinhos!

como ela vai, como ele vai contente!"



E por onde eu passar e tu passares,

hão de seguir-nos todos os olhares

e debruçar-se as flores nos barrancos...



E por nós, na tristeza do sol posto,

hão de falar as rugas do meu rosto

hão de falar os teus cabelos brancos.



Guilherme de Almeida
 
 

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

SYMPATHIA




Sympathia - é o sentimento

Que nasce n'um só momento,

Sincero, no coração;

São dous olhares accesos

Bem juntos, unidos, presos

N'uma magica attracção.

. . . . . . . . . . . . .

Sympathia - meu anjinho,

E' o canto do passarinho,

E' o doce aroma da flôr;

São nuvens d'um céo d'agosto

E' o que m'inspira teu rosto...

- Sympathia - é - quasi amor!





CASIMIRO DE ABREU






domingo, 28 de agosto de 2011

AMO J G DE ARAÚJO JORGE



Não Te Gosto em Silêncio





Não te gosto em silêncio porque te sinto distante...

Entre tua boca e a palavra mora talvez minha angústia

como entre o dia e a noite

vacila a longa dúvida do crepúsculo.



Não te gosto em silêncio, quando há em teus olhos, pousados,

dois estranhos pássaros noturnos,

e teus lábios emudecem como a fonte nos ásperos

e intermináveis invernos.



Não te gosto em silêncio quando te envolves com as coisas

que te cercam, como se fosses uma delas,

quando estás como as águas paradas, cuja beleza

é apenas o reflexo das estrelas.



Por isto te provoco é te atiro perguntas

como pedras quebrando a impassibilidade do lago,

como pancadas no gongo que estremece e vibra

e te traz à tona para mim.



Não te gosto em silêncio, porque parece que atrás de tua voz

ainda se esconde alguém que tu própria não conheces,

a alguém embuçado a ameaçar nosso sonho

e que só tuas palavras poderão expulsar.



Não te gosto em silêncio, porque preciso ainda de tua palavra

para te descobrir,

lanterna adiante de meu passo, alvorada desenterrando

na noite emaranhada meu indeciso caminho.



Porque preciso ainda que tua palavra chegue como um vento forte

arrastando nuvens, limpando céus e horizontes,

levando folhas doentes, te descobrindo ao sol...

.

Um dia te gostarei em silêncio. E então me recolherei em teu silêncio,

e procurarei a sombra, como o pássaro na hora da tarde,

e porque o sol estará em nós e nada turvará meu pensamento,

entre tua boca e a palavra haverá apenas o meu beijo.



J.DE ARAUJO JORGE 
 
 
 
 



Não Tens Culpa...



Não tens culpa

se este amor nasceu como uma planta humilde

e ignorada,

que ninguém plantou, mas que vive e que cresce,

e afinal em meu peito criou fundas raízes

e todo em flores azuis de sonho se enfloresce...



Não tens culpa de nada...

Que culpa terás se meus olhos

nunca mais te esqueceram

assim tristes corno estão,

e se encontrando desprevenido o pensamento,

entraste e chegaste ao coração?



Culpemos o Destino, ou ninguém.'..

E para que falar em culpa

se de nada estamos certos,

se serás sonho apenas,

sonho de olhos abertos,

fora do alcance da mão?. . .
 
 
J G DE ARAÚJO JORGE
 
 




Desabafo







Longe de ti, este amor me põe agitado

como um mar de agosto



Eu precisaria talvez de fazer uma sangria

nesta angustiosa saudade

que carrego opresso, tantas horas,

como um sonho desenganado.



Recuo sempre, entretanto. Avaramente recuo.

Não sei partilhar-te com ninguém,

ainda que seja para aliviar

o coração.
 
 
JG DE ARAÚJO JORGE
 
 


 
Contraste





Vou pela rua, solitário, miserável em minha tristeza,

como um vagabundo friorento e sem dormida...



Tinha vontade que me encontrasse, para te dizer:

afinal, sem ti, eis o que resta da minha vida,

eis de mim tudo que resta...



E a noite segue ao meu lado, feliz, indiferente

como uma adolescente

de vestido de baile a caminho da festa...



JG DE ARAÚJO JORGE
 
 
 

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

A SENSUALIDADE DE BRUNA LOMBARDI









Cio



Quero dormir com você ou pelo menos

Te dar um beijo na boca

O meu amor não tem pudor, nem acanhamento

Não tem paciência, não agüenta mais

A urgência do desejo

E eu te olho, te olho, te olho

Como se dissesse.



Penso, ele há de perceber, me encosto um pouco

Espero um gesto, um sinal, uma atitude

Que eu possa interpretar como uma resposta,

Uma indicação,

Mas você é um homem sério e continua

Se escondendo atrás dessas teorias

E nem te brilha no olho uma faísca de tentação.



Aí que aflição

Pensar no que eu faria

Se pudesse.



Desejo que não acontece

Fica parado no peito

Aí vira obsessão.



[Bruna Lombardi]
 
 
 
 
 
 






 
LUA


[Bruna Lombardi]



Ele me deitou nua em cima do calçamento

e eu sabia que era loucura

que era coisa de momento

pensei até que era a lua

danada noo quarto crescente

ou era fúria de maré

crescendo dentro da gente

e eu me sentia suada

e eu me sentia escura



mas não tinha medo de nada

que toda paixão da coragem

e me deitei na calçada

com orgulho e vadiagem

e quanto mais me sujava

mas me sentia à vontade

mais eu queria e deixava



mais eu pedia e mais dava

e ria, gemia e brincava

de ter tanta liberdade

eme me deitou na rua

numa qualquer de passagem

e eu sabia que era loucura

que era coisa de um momento

de grande camaradagem.
 
 
 
 
 

segunda-feira, 22 de agosto de 2011





O que é a Saudade



Saudade é dor que não tem cura

é um sentir que provoca o ciúme,

é um sofrer que não dá trégua,

é a felicidade que perdeu a plenitude.



Ninguém quer sentir saudade!

é uma vazio que mais parece fome

de alguma coisa que se acaba para sempre

como sonhos sonhados docemente.



Saudade é feito um desejo

que nos toma sem permissão,

doi no peito, sente ausência

e maltrata rudemente o coração.



Existe a saudade boa...

de algo que se viveu plenamente

ela acalenta o coração e a mente

e nos faz ver a vida de maneira diferente.



MÁRCIA ROCHA









sexta-feira, 12 de agosto de 2011

SEM PALAVRAS PARA NERUDA





Se sou amada,

Quanto mais amada

Mais correspondo ao amor.

Se sou esquecida,

Devo esquecer também,

Pois amor é feito espelho:

Tem que ter reflexo!



Pablo Neruda











Dois amantes felizes não têm fim nem morte,

nascem e morrem tanta vez enquanto vivem,

são eternos como é a natureza.

Pablo Neruda















Dois...

Apenas dois.

Dois seres...

Dois objetos patéticos.

Cursos paralelos

Frente a frente...

...Sempre...

...A se olharem...

Pensar talvez:

“Paralelos que se encontram no infinito...”

No entanto sós por enquanto.

Eternamente dois apenas.

Pablo Neruda















Quero apenas cinco coisas..

Primeiro é o amor sem fim

A segunda é ver o outono

A terceira é o grave inverno

Em quarto lugar o verão

A quinta coisa são teus olhos

Não quero dormir sem teus olhos.

Não quero ser... sem que me olhes.

Abro mão da primavera para que continues me olhando.

Pablo Neruda











"Amo-te sem saber como, nem quando, nem onde, amo-te simplesmente sem problemas nem orgulho: amo-te assim porque não sei amar de outra maneira."

Pablo Neruda













"Morre lentamente quem evita uma paixão , quem prefere o preto sobre o branco e os pontos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções , justamente as que resgatam o brilho dos olhos , sorrisos dos bocejos , corações aos tropeços e sentimentos".

Pablo Neruda









"Se cada dia cai, dentro de cada noite,

há um poço

onde a claridade está presa.

há que sentar-se na beira

do poço da sombra

e pescar luz caída

com paciência."

Pablo Neruda





"Algum dia em qualquer parte, em qualquer lugar indefectivelmente te encontrarás a ti mesmo, e essa, só essa, pode ser a mais feliz ou a mais amarga de tuas horas."

Pablo Neruda















"Em teu abraço eu abraço o que existe

a areia, o tempo, a árvore da chuva

E tudo vive para que eu viva:

sem ir tão longe posso vê-lo todo:

veio em tua vida todo o vivente."

Pablo Neruda