segunda-feira, 4 de agosto de 2008


MULHERES DE PEDRA


Filhos da chuva
São filhos da natureza
Correm livres
Brincam na lama
Homens de barro
Mulheres de pedra
Eles quebram
Elas resistem...
Enquanto homens são eternos meninos
Mulheres tornam-se eternas guerreiras...
Eles abandonam
Elas lutam para criar seus filhos...
Lágrimas cobrem rostos
Feito chuva suave
Lavando as mágoas
Da imagem daquelas
Que na memória dos filhos da chuva
Para sempre serão eternas...

Mário Feijó

2 comentários:

  1. parabens sinceros pelo post, pelo blog. Por tudo aqui.
    Muito bom
    .Maurizio

    ResponderExcluir
  2. Ai quem me dera agitar o tempo
    Atirar a mágoa à voragem da noite
    Arrancar as raízes ao pensamento
    Sentir a paz que uma lagoa acolhe


    Boa férias


    Mágico beijo

    ResponderExcluir