terça-feira, 20 de maio de 2008

AUSÊNCIA


Por muito tempo achei que a ausência é falta.

E lastimava, ignorante, a falta.

Hoje, não a lastimo.

Não há falta na ausência.

A ausência é um estar em mim.

E sinto-a branca, tão apegada, aconchegada nos meus braços,

que rio e danço e invento exclamações alegres,

porque a ausência,essa ausência assimilada,

ninguém a rouba mais de mim.

Carlos Drummond de Andrade

2 comentários:

  1. *****

    Querida F@!

    Que bom abrir o correio e encontrar lá notícias suas!
    E seu convite me alegrou muito!
    Bem vinda amiga! Seu blog está lindo e é chegar e ficar!!!
    Realmente a afinidade é incrível. Me sinto mesmo em casa!
    Conte comigo por perto, sintonizada em seu coração!
    Uma ótima quarta para você!
    Beijos ternos
    Helô

    Sintonias do Coração

    ******

    ResponderExcluir
  2. Minha querida...sinto que estás apaixonada e isto é bom demais; ainda que seja virtual se for correspondida, aproveite; mas se um dia puder ser no vivo e a cores será melhor ainda, pois nada substitui o olho no olho, pele com pele para se ter certeza de que aquele amor chegou para ficar e fazer parte da nossa vida. Beijos carinhosos, guida

    ResponderExcluir